Herança

Fruto duma boa noitede amor e gemido.Criado por meus paisentre o mar e o paralelepípedo.Tenho certeza— Não pedi para vir ao mundo.E mesmo que o houvesse feitonão preciso concordar com o que encontrei.

Conhecer

há momentosque somos escravosda sede de conhecero peixemorde a mortemais por curiosidadeque por fome

AFOGADO fragmentos nos olhos

“a ciência descobriu asgeografias do mundo,menos a cura para solidão.” sempre sofri,por mais que o mar esteja transbordandoem mimsempre haverá um vazio:como um carma,uma praga,uma chaga infinita no absurdo. nas minhas visões fragmentadasdesconheço as geografias dos homens e das mulheres quetranspassam por mimnesses tormentos,nesses conflitos com um eu que também desconheço,sigo adiante,mesmo sem saber se […]

Baú de Ossos

Baú de Ossos Para Pedro NavaO que abre a noite é um silêncio abissalesperanças novas de um corpo soturnoum canal de lembranças de um dia solar.O que encerra um dia é uma certeza moralde um corpo alquebrado, lavado de solesquecido na noite de um dia feliz.O que encerra a vida é saber-se fadado;ao dia, à […]

Pimenta Rosa

Cerejas azuis da meia noite

Pimenta Rosa Há vendilhões do templo na minha genealogia;por isso arranquei raízes de aroeiraem busca do seu poético frutodoce pimenta rosae, com ela, atazanei o seu peixecozendo-o em folhas de bananeiraenquanto você dormia em outra redes,que não a minha;entre aborígenes & gringos & extraterrestrescaminhei quarenta anos pelo deserto, em buscado meu pecado original:encontrei lagartos & […]

VISÃO

Vejo as folhasárvores são despidasSinto solidão